"Vale a pena ser RT?"


É sabido que uma das atividades que o médico-veterinário pode desempenhar em sua carreira é a de ser Responsável Técnico (RT). Ele pode atuar em estabelecimentos empresariais, comerciais, criatórios, biotérios, fábricas e demais locais que criam, manipulam, prestam serviço ou comercializam animais, produtos de origem ou para animais e várias outras atividades.


O profissional médico veterinário, quando assume a função de responsável técnico (RT) se responsabiliza, via de regra, por todos os serviços oferecidos pela empresa e/ou instituição na qual está assumindo a função, desde a qualidade dos produtos e serviços, até a segurança dos alimentos, a valorização profissional, a publicidade, o bem estar dos animais e a proteção da sociedade contra abusos e agravos.


Esse profissional responde técnica, ética e legalmente (administrativa, civil e penalmente) pelos seus atos profissionais e pelas atividades desenvolvidas e pode sofrer penalizações e responsabilizações caso seja constado irregularidades na sua atuação o que pode comprometer a qualidade dos produtos e serviços prestados ao consumidor.


Agora, uma sombra de dúvida paira na sua mente, não é mesmo? Compensa ser RT? Vale a pena? É importante alguns pontos estarem claros e inequívocos no seu pensamento para que você reflita sobre esse assunto.

Primeiro é importante ressaltar que o médico veterinário assumindo a função como RT, assim como outras funções, estão sujeitos à responsabilização civil quando comprovada sua culpa na prestação do serviço. Não é uma responsabilização exclusiva do responsável técnico mas sim de todo profissional liberal.


Relevante enfatizar que a obrigação do médico veterinário nos atendimentos é considerada de meio, quando o profissional está obrigado a empenhar todos os esforços possíveis para a prestação de determinado serviço, não existindo compromisso de obtenção de um resultado específico. O profissional deve assim pautar sua atuação com diligência adequada frente a todas as regras técnicas da profissão, atinentes às legislações em vigor e também às recomendações ditadas pela literatura científica veterinária. Estes pressupostos diminuem, por exemplo, a possibilidade do médico veterinário sofrer um processo judicial e, caso isto ocorra, aumenta sua chance de êxito.


Por outro lado, o médico veterinário, na função de responsável técnico, tem uma jornada de trabalho flexível pois ele faz o seu próprio horário. Legalmente, o RT tem uma carga horária semanal a ser cumprida no estabelecimento que muitas vezes é de, no mínimo, 6 horas semanais. Ou seja, o profissional pode organizar sua agenda para fazer cumprir esse quantitativo de horas e realizar o trabalho necessário e, ao mesmo tempo, buscar outras atividades, cumprir outros compromissos, assumir outra empresa como RT, prestar serviços de consultoria, realizar atividades particulares, entre outras.


Uma jornada flexível traz, principalmente, maior liberdade para o médico veterinário RT no cumprimento de seu horário de trabalho, pois pode cumprir sua jornada obedecendo um número de horas diárias sem, contudo, ter a rigidez de ter que chegar em um horário fixado, possibilitando assim que o profissional possa gerenciar seu trabalho, realizar da melhor maneira as atividades técnicas necessárias no estabelecimento, realizar outras atividades e organizações, entre outras.


Aliado a isso, a responsabilidade técnica é exercida como prestação de serviços que cabe honorários justos para o médico-veterinário. O profissional deve ser consciente do valor de seu trabalho e capacidade de contribuir positivamente na atividade da empresa ou do serviço, reconhecendo como elemento de valor para a atividade, pois só assim será valorizado pelo contratante assim como por toda a sociedade.


O profissional médico veterinário pode atingir os 5 dígitos desempenhando o trabalho como RT, caso a remuneração seja efetivamente ajustada pela recomendação dos conselhos regionais e sindicatos da categoria e que são norteadas pelo piso previsto na Lei Federal nº 4950-A.


Para que o profissional tenha seu valor reconhecido e alcance seus méritos, é imprescindível que o médico-veterinário se mantenha sempre atualizado. Além da formação profissional consistente, conhecimento robusto do seu papel como RT e de todas as suas interfaces, é interessante buscar meios para desenvolver habilidades adicionais relacionadas à gestão de pessoas, comunicação e inovação, valorizando ainda mais seu papel diante do empregador e da sociedade.


A responsabilidade técnica exigirá do profissional o desenvolvimento de algumas competências humanísticas, competências estas que são ligadas à capacidade de lidar com diferentes variáveis relacionadas às questões de relacionamento, de compreensão da realidade em um contexto mais amplo, de comunicação, de liderança, de organização e de gestão, incluindo a gestão de si mesmo.


Por fim, sabemos da incessante busca dos médicos veterinários por oportunidades de emprego visando entrar no mercado de trabalho, ainda mais em tempos de vultosos números de faculdades de medicina veterinária no Brasil e egressos disponíveis no mercado.


A responsabilidade técnica é a área que mais emprega na medicina veterinária pois além de ser exigência legal contratar um RT a toda empresa que desempenha atividade peculiar ou relacionada à medicina veterinária, é uma atuação indispensável e que garante a qualidade dos serviços prestados e do produto que será consumido pela população, sendo considerado essencial aos olhos de todos.


Espero que todos os pontos apresentados acima tenham sido satisfatórios para que você possa refletir de forma ampla o médico veterinário na função de responsável técnico. O RtVets convida você a entrar no mundo da responsabilidade técnica de forma profissional e eficiente. Vamos juntos?


Um abraço da equipe Rtvets.


#medvet #rtvets #medicinavet #medicinaveterinaria


49 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo